REPRESENTAÇÃO PARLAMENTAR DO PTP-MADEIRA

O Barba Negra corava de vergonha se visse as consequências dos crimes económicos dos modernos piratas offshore

No Sec.XVIII o Barba-Negra adorava Vinho Madeira e não perdoava nenhum Navio proveniente da Ilha da Madeira mas nunca chegou aos calcanhares dos novos piratas financeiros da Ilha Tortola das Ilhas Virgens que se dedicam a pilhar os nossos Impostos Portugueses.

Sediados em Bancos e com nomes pomposos de Empresas de Management e Offshore saqueiam Milhões aos cofres dos Estados Europeus na maior “legalidade” dos mares da finança internacional e vestidos com os melhores fatos Armani.

São os novos Piratas Financeiros e causam perdas astronómicas e incalculáveis que se traduzem sempre em aumento dos impostos, cortes na segurança social, desemprego, fome e miséria…

José Manuel Coelho do PTP desmontou hoje uma parte do esquema criado na Madeira para a fuga de capitais e fraude fiscal através da empresa KPMG e da sua filial nas Ilhas Virgens com o auxilio do actual Director Regional dos Impostos da Ilha da Madeira, João Machado.

Coelho explica como funciona a “Repartição de Finanças dos Ricos” no Offshore da Madeira em contraste com as verdadeiras finanças que perseguem e apertam o comum cidadadão com cada vez mais cortes e sacrificios.

O Partido Trabalhista desmonta o esquema em que o actual Director da Cobrança e Fiscalização dos Impostos na Madeira é investigado pela Policia Judiciária e indiciado pelo Ministério Público nos crimes de fraude, burla fiscal e branqueamento de capitais juntamente com outros dirigentes do PSD e do Clube Desportivo Nacional. O ainda Director dos Impostos de Jardim, João Machado era um funcionário da empresa de Management KPMG com filial na praça Offshore da Madeira, onde trabalhava como técnico analista de TI e actuava como gestor de contas de importantes clientes Madeirenses ligados ao PSD e àreas da Construção civil, Comércio e Indústria do ramo Automóvel e Turismo. João Machado como influente dirigente do PSD e funcionário desta empresa de Management da praça Offshore Madeirense, servia de ligação para estes empresários criarem as suas empresas offshore nas Ilhas Virgens e assim não pagarem IRC sobre os dividendos e fugirem ao pagamento de IRS, IVA e outos impostos sobre o pagamento de bónus, prémios, comissões e outras despesas não declaradas as Finanças à Segurança Social em Portugal.

O Director das Finanças voltou a receber a defesa e confiança política de Alberto João Jardim e do Secretário das Finanças Regionais, Ventura Garçês, permanecendo em funções na Direcção da Cobrança e Fiscalização dos Impostos na Direcção Regional dos Assuntos Fiscais. Coelho compara este absurdo a uma raposa continuar a cuidar de um galinheiro cheio de galinhas apetitosas… depois de ter desaparecido várias galinhas!

Anúncios

Comentários a: "OS NOVOS PIRATAS VESTEM ARMANI E BOSS" (3)

  1. A História tem estas ironias… Antes roubavam o nosso vinho e o açucar. Hoje roubam os impostos do açucar e do vinho. Qual é a diferença? Roubam-nos mais, muito mais. Milhões de euros.

  2. Sera que o primeiro BLANDY já era sócio do Pirata Blackbeard? Ainda vou fazer uma viagem lowcost à Ilha de Tortola para investigar. Dizem que a nossa Policia Judiciária anda por lá procurando papeis…
    É que coincidência das coincidências a familia e grupo Blandy adora Madeira Wine e sempre teve ligada ao comércio do açucar… Coincidências… será???
    Vamos investigar a pista do açucar e do vinho madeira e ver para onde vai o nosso dinheiro

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: